Novo recurso: Aleph with Beth

Para aqueles que fazem parte do grupo Isso é Exegese no Facebook, essa “novidade” não será nada nova, mas que queria alertar aqueles que nos seguem aqui sobre os vídeos feitos ali e também explicar porque eu acho tão genial a ideia do canal deles. Então vamos lá…

Aleph with Beth: os recursos oferecidos

1 – Canal do Youtube

Essa é a plataforma principal pelo qual o conteúdo do Aleph with Beth é disseminado. Nos seus vídeos, eles ensinam o hebraico a partir do hebraico, o que facilita muito a compreensão do hebraico como uma língua viva. Não vou explicar mais do que isso porque eles já criaram um vídeo em português que explica o que eles estão fazendo.

2 – Um aplicativo de leitura

Leituras em hebraico – esse aplicativo é muito útil para aumentar sua fluência em hebraico. Você pode lê-lo na velocidade que for mais confortável (mais rápido ou mais devagar), e as estórias que você lê foram criadas com níveis de dificuldade para acomodar a todos. Mas é claro que você precisa já conhecer o alfabeto e um pouco da gramática hebraica antes de começar!

Um pouco mais sobre o método comunicativo

O que ele é

O método comunicativo tenta ensinar línguas a partir da própria língua a ser ensinada. Esse método enfatiza a comunicação na língua em si. Dessa forma, o aluno aprende por imersão, à medida que o professor fala com ele em (nesse caso) hebraico. O princípio por trás disso é de sempre ensinar n + 1 (ou 2), no qual n é aquilo que o aluno já conhece, e o + 1 (ou 2) é o material novo. Nas aulas de Aleph with Beth, ela começa com fotos (e brinquedos) de animais e diz o nome desses animais. Na segunda aula, o elemento +1 são as terminações do plural para aqueles substantivos aprendidos na primeira aula. A terceira aula explora um pouco mais (usando aqueles mesmos substantivos) o gênero. Mas nada disso é explicado em inglês, português, espanhol ou qualquer outra língua. No método comunicativo, o aluno aprende pela comunicação em si. Ela é pouca e lenta no início, mas gradualmente aumenta com maiores interações entre o professor e os alunos.

O que ele promete

1 – Um metódo que funciona para todos – o método comunicativo não promete ser o único método de aprendizado de línguas diferentes, mas ele parte do princípio que nossos cérebros foram criados para aprender línguas pela comunicação. Eu explico isso um pouco mais aqui.

2 – Ajudar no aprendizado sem a memorização mecânica – já que o aprendizado é feito em frases mais relevantes ao aluno do que a memorização de tabelas e palavras mil, isso o ajuda a lembrar dessas palavras num contexto. A memorização dessa forma é mais rápida.

3 – Ensinar a língua de forma a aumentar a retenção da mesma – esse tipo de contextualização não ajuda somente a memorização inicial, mas também na internalização e retenção do vocabulário e da língua.

4 – Ensinar a língua sem a mediação de outra língua – ao não usar outra língua no ensino da língua-alvo (hebraico, nesse caso), você não aprende o hebraico em função de outra língua, o que significa que você não estará preso àquela outra língua para explicá-lo ou compreendê-lo. Escrevi também sobre esse conceito aqui.

Os possíveis problemas

1- O problema da exegese

Existem muitos entusiastas sobre esse novo método de aprendizado do hebraico (inclusive eu!). Contudo, a principal pergunta daqueles que ainda não aderiram a esse método é “Sei que esse método ajuda no aprendizado, mas será que isso ajuda na interpretação, isso é, na exegese, do texto?”

Em primeiro lugar, como o método é novo ainda, não existem dados estatísticos suficientes para dizer quantos alunos desse método são melhores intérpretes do que os alunos do método tradicional de aprendizagem. Portanto, não tem como responder essa pergunta.

Mas existe uma segunda coisa que precisamos destacar: o método comunicativo não promete formar melhores exegetas e nem deveria. Não é somente por conhecer melhor a língua inglesa que alguém será um intérprete melhor de Shakespeare ou John Milton. Existe muita má interpretação até mesmo de pessoas que conhecem uma língua bem. A exegese é algo que ainda precisa ser ensinada, e creio que, com uma fundação linguística mais certa (isso sim o método comunicativo promete), o edifício em si (isso é, a interpretação) ficará mais estável também.

2 – O problema do instrutor

Outro problema é que existem muitos que já aprenderam pelo método tradicional e creem que será muito difícil aprender o método comunicativo e incorporá-lo nas suas aulas. Por um lado, concordo. Eu sou um desses que aprendeu pelo (e ensina) o método tradicional. Afinal, nossas vídeo-aulas aqui do Isso é Hebraico são justamente isso.

Contudo, é justamente pela dificuldade da falta de instrutores nesse método que a Bethany do Aleph with Beth criou seu canal e disponibiliza seu conteúdo de graça. Para aqueles (como eu) que querem aprender e ensinar usando esse novo método, seu canal é muito útil. Existem também outros cursos e recursos já existentes (até mesmo específicos para professores) como os recursos do Biblical Language Training Center e da casa editora GlossaHouse.

2 comentários sobre “Novo recurso: Aleph with Beth

  1. Flávio Rodrigues Gomes dos Santos

    Muito bom esse método professor parabéns, pois através dos vídeos consegui entender o hebraico melhor do que no seminario.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s