Os tradutores erraram? ראה em Gênesis 22.8 e 14

Tradução é um trabalho difícil. No processo de tradução, é necessário ter duas estruturas linguísticas ativadas ao mesmo tempo em sua mente – a estrutura da língua-fonte e a estrutura da língua-alvo. Além do mais, nesse processo, os melhores tradutores conseguirão traduzir não somente vocábulos sinônimos da língua-fonte, mas conseguirão transmitir também as nuances da pessoa que está falando. Por exemplo, qual é a melhor tradução de “what’s up” em inglês para o português? Seria “tudo bem”? “fala mano”? “oi”? Claro que nunca “o que está para cima?”! No caso, as primeiras poderiam ser traduções viáveis, mas nem todas transmitem a nuance correta do seu contexto. É por isso que léxicos, dicionários bilíngues, ou softwares nunca serão capazes de fazer uma tradução “perfeita”. É por isso também que nós buscamos aprender o hebraico bíblico; isso é, para compreender algumas pequenas nuances que poderão passar desapercebidas apenas ao ler uma tradução ou Bíblia interlinear.

Quero falar hoje sobre um texto que apresenta certas dificuldades na sua tradução e explicar 1) porque os tradutores das nossas bíblias em português tomaram as decisões que tomaram e 2) como o conhecimento da língua-fonte do texto bíblico (no caso de hoje, o hebraico) pode aprofundar nossa apreciação de certas palavras em Gênesis 22.

Continuar lendo “Os tradutores erraram? ראה em Gênesis 22.8 e 14”

De volta à terra dos vivos… e um pequeno estudo da palavra פֶּרֶשׁ

ELE ESTÁ VIVO!”
Frankenstein (1931)

Oi Pessoal!
Voltei à vida do blog! Sumi da internet por alguns meses por causa de várias coisas. Fizemos uma mudança internacional, minha filha teve um problema sério de saúde (graças a Deus ela está bem agora, mas ainda precisa de acompanhamento médico regular), começei um emprego novo (na verdade, três!), e, além de vários outros compromissos, resta-me ainda escrever um último capítulo para minha tese de doutorado. Portanto, espero que compreendam a queda em produção (ou ausência da mesma) nesses últimos meses!

Enfim… era só isso mesmo que eu queria dizer. Mas para não te deixar sem nenhum gostinho de “hebraico”, vai aqui um pedacinho de conhecimento hebraico com o qual me deparei alguns dias atrás…

Continuar lendo “De volta à terra dos vivos… e um pequeno estudo da palavra פֶּרֶשׁ”