Malaquias 1.10-12

Gente! Espero que vocês conseguiram fazer a leitura. Já gravei o vídeo de hoje, mas estou com problemas técnicos aqui (tecnicamente estou sem um computador… que precisou ser reparado), e portanto não conseguirei editar e publicar o vídeo hoje. Contudo, espero ter dois vídeos para vocês amanhã!

Vamos continuar lendo Malaquias, 3 versículos por dia, mesmo sem vídeo!

Hebraico Intermediário: desafio de Malaquias

Vejam só essa lista abaixo. Eu sei que está torta, em inglês e, se você estiver no celular, difícil de ler, mas dê uma olhada mesmo assim:

Essa lista vem de Wegner, Paul D. Using Old Testament Hebrew in Preaching: A Guide for Students and Pastors. Grand Rapids: Kregel, 2009, p. 116. A ideia é simples: se você ler três versículos em hebraico por dia, em 511 dias, você terminará o livro de Gênesis, em 405, o de Êxodo, 287 dias para Levítico, etc.

E aí? Tenho sua atenção agora? Acho que você já sabe onde vou chegar com isso, né?

Continuar lendo “Hebraico Intermediário: desafio de Malaquias”

O Uso do Antigo Testamento no Novo Testamento

[AVISO: esse post não tem nada a ver com o hebraico]

Dentro de duas semanas, eu vou dar um módulo sobre O Uso do Antigo Testamento no Novo Testamento no programa de MDiv/STM do Centro de Pós-Graduação Andrew Jumper. Sei que o aviso está saindo um pouco atrasado (as inscrições fecham 28 de abril!), mas “melhor tarde do que nunca”, não é?

Para mais informações, veja o conteúdo programático abaixo:

Se você tiver interesse e gostaria de fazer o curso comigo, dê uma olhada no calendário aqui e faça sua inscrição!

Resenha: Hebraico Bíblico, parte 4 (ou, como ninguém é perfeito)

*Nota: copiei abaixo algumas coisas que já coloquei na minha resenha um pouco mais formal para a Fides Reformata.

https://www.jrailpass.com/blog/wp-content/uploads/2017/01/cherry-blossom-e1485856509786-1280x720.jpg
“A flor perfeita é uma coisa rara. É possível gastar toda a vida procurando-a e não seria uma vida desperdiçada.” – Katsumoto Morisugu, em O Último Samurai
Continuar lendo “Resenha: Hebraico Bíblico, parte 4 (ou, como ninguém é perfeito)”

Resenha: Hebraico Bíblico, parte 2 (ou, como vestir roupas adequadas à ocasião)

*Nota: para ninguém dizer que me plagiei (isso existe mesmo!), quero deixar claro que copiei algumas coisas que já coloquei na minha resenha um pouco mais formal para a Fides Reformata.

Alguns dos meus leitores se lembrarão desta cena de Debi e Loide:

https://i.ytimg.com/vi/ZJ4Va3sofAk/maxresdefault.jpg
Continuar lendo “Resenha: Hebraico Bíblico, parte 2 (ou, como vestir roupas adequadas à ocasião)”

Os tradutores erraram? ראה em Gênesis 22.8 e 14

Tradução é um trabalho difícil. No processo de tradução, é necessário ter duas estruturas linguísticas ativadas ao mesmo tempo em sua mente – a estrutura da língua-fonte e a estrutura da língua-alvo. Além do mais, nesse processo, os melhores tradutores conseguirão traduzir não somente vocábulos sinônimos da língua-fonte, mas conseguirão transmitir também as nuances da pessoa que está falando. Por exemplo, qual é a melhor tradução de “what’s up” em inglês para o português? Seria “tudo bem”? “fala mano”? “oi”? Claro que nunca “o que está para cima?”! No caso, as primeiras poderiam ser traduções viáveis, mas nem todas transmitem a nuance correta do seu contexto. É por isso que léxicos, dicionários bilíngues, ou softwares nunca serão capazes de fazer uma tradução “perfeita”. É por isso também que nós buscamos aprender o hebraico bíblico; isso é, para compreender algumas pequenas nuances que poderão passar desapercebidas apenas ao ler uma tradução ou Bíblia interlinear.

Quero falar hoje sobre um texto que apresenta certas dificuldades na sua tradução e explicar 1) porque os tradutores das nossas bíblias em português tomaram as decisões que tomaram e 2) como o conhecimento da língua-fonte do texto bíblico (no caso de hoje, o hebraico) pode aprofundar nossa apreciação de certas palavras em Gênesis 22.

Continuar lendo “Os tradutores erraram? ראה em Gênesis 22.8 e 14”

Um pequeno estudo da palavra פֶּרֶשׁ

ELE ESTÁ VIVO!”
Frankenstein (1931)

Oi Pessoal!
Voltei à vida do blog! Sumi da internet por alguns meses por causa de várias coisas. Fizemos uma mudança internacional, minha filha teve um problema sério de saúde (graças a Deus ela está bem agora, mas ainda precisa de acompanhamento médico regular), começei um emprego novo (na verdade, três!), e, além de vários outros compromissos, resta-me ainda escrever um último capítulo para minha tese de doutorado. Portanto, espero que compreendam a queda em produção (ou ausência da mesma) nesses últimos meses!

Enfim… era só isso mesmo que eu queria dizer. Mas para não te deixar sem nenhum gostinho de “hebraico”, vai aqui um pedacinho de conhecimento hebraico com o qual me deparei alguns dias atrás…

Continuar lendo “Um pequeno estudo da palavra פֶּרֶשׁ”

Incongruência na Bíblia? Êxodo 6.3 e o nome de Deus

Nosso post hoje tem uma inclinação apologética. Sempre existem e sempre existirão perguntas que os cristãos devem responder tanto para sanar suas próprias dúvidas quanto para defender sua fé diante daqueles que a confrontam. A pergunta que responderei hoje diz respeito a possíveis incongruências na Bíblia. Ela veio a mim indiretamente por um muçulmano que queria demonstrar que a Bíblia não é inspirada.

Vejam a pergunta e resposta abaixo:

Jefferson Bible

Página 65 da Bíblia de Thomas Jefferson. Ele extraía palavras e versículos que considerava incorretos (inclusive referências ao sobrenatural, milagres, a ressureição, etc).

Continuar lendo “Incongruência na Bíblia? Êxodo 6.3 e o nome de Deus”

Referência a Participantes (parte 1)

AVISO: nosso post hoje será bem mais especializado e acadêmico (leia-se chato!). A razão disso é que estou trabalhando com a interpretação de Isaías 66.18-21 para parte da minha tese, e decidi publicar uma postagem sobre esse texto. Falhei esse alvo (terei que escrever a parte 2 do post outro dia), mas espero que esse post sirva como uma boa introdução à referência a participantes. Como sempre, comentem abaixo ou no nosso fórum no Facebook se você tiver perguntas ou críticas!

Continuar lendo “Referência a Participantes (parte 1)”