Não é muito difícil aprender hebraico?

Já me acostumei àquele olhar meio-estupefato, meio-assombrado que recebo quando digo que conheço 7 línguas (3 vivas, 4 mortas – e as mortas nem valem tanto assim!). “O quêêê?? Você deve ser um gênio!” E aí acaba toda a discussão. Não vale dizer que não é tão difícil assim – “Ahn, mas é claro, pra você, inteligente assim, nada é difícil!” – ou que é apenas necessário estar disposto a ser diligente e trabalhar duro – “Aposto que gastaria o dobro – não, o triplo! – de tempo para aprender o mesmo que você!” – ou até mesmo admitir que já esqueci mais do que aprendi – [insira comentário estupefato/assombrado aqui]…

Babel_Doré
Gustave Doré La Confusion de Langues (1865)

Mas quer saber o que realmente acontece? Acontece que somos preguiçosos. É mais fácil acreditar que existe um suposto “dom de línguas” (não digo no sentido teológico), uma receita molecular no DNA de todos-a-não-ser-eu – seres humanos superiores a mim – que conseguem aprender as linguagens bíblicas, do que acreditar que, se eu tivesse o interesse ou a necessidade de aprender outra língua, poderia fazê-lo facilmente. Veja, por exemplo, o que diz o poliglota irlandês, no mundo secular, que agora vende seu método de aprendizado pela internet.

Minha esposa nasceu e cresceu na Índia, em Pune, Maharashtra. Ela fala inglês (a língua utilizada em casa e na igreja), marathi (a língua utilizada no dia-a-dia no seu estado), hindi (a língua necessária para ver filmes do Bollywood), e consegue se comunicar em outras duas. Agora, isso não é fora do comum no seu estado e em vários lugares na Ásia e África, é infreqüente o cidadão monolinguístico. Além disso, depois de se casar comigo, ela aprendeu o hebraico bíblico (não foi imposição minha! prometo!) e está aprendendo o português – as duas línguas porque ela quis, isto é, teve o interesse de aprender.

Contudo, quando digo que o hebraico não é muito difícil de se aprender, isso não quer dizer que é tudo um mar de rosas e que há um método perfeito para se aprender a língua em um mês. O aprendizado de qualquer língua requer imersão e contato constante. Assim, a língua hebraica acaba sendo uma amante ciumenta: ela rejeitará qualquer pessoa que não dedicar o tempo necessário para conhecer seu modo de se expressar (pronúncia e escrita), seus jeitinhos e neuras (gramática), ou que nunca parar para admirá-la como um todo (ex: a tradução de um texto bíblico completo). Então, a língua hebraica é difícil? Sim, mas não tanto quanto pensamos e vale à pena!

7 comentários sobre “Não é muito difícil aprender hebraico?

    1. Oi Leandro,
      Já vi sim. Estou tentando aprender o alemão teológico, e o Duolingo tem sido muito útil. Acho uma boa idéia utilizá-lo, como a plataforma é simples e fácil de se usar, mas o hebraico moderno é bem diferente do hebraico bíblico no estudo de verbos. Outra coisa: o hebraico moderno não escreve com vogais. Nesse sentido, o hebraico bíblico é mais fácil.

      Curtir

      1. Usei o Duolingo para rever meu francês e espanhol, e agora estou usando para italiano e alemão, bem devagarzinho.

        Eu sei que é bem diferente; pretendo usar só como etapa de aprendizado, já que creio não ter disciplina para pegar um material como o teu agora.

        Dos tempos em que fiz /ulpan/ em Israel, usam-se sim as vogais na fase de aprendizado. Depois, abandonam-se-as, um pouco como se usa um silabário em taiwanês antes de passar para os ideogramas. Não sei ainda como será isso no Duolingo.

        Curtir

  1. Hanna Finholdt

    Fiz uma aula experimental de hebraico no Duolingo ,e fiquei impressionada com a alavancada que deu no meu aprendizado.
    Não entendi um comentário aí que diz que hebraico moderno não tem vogais,pois faço o ULPAN (moderno) e o bíblico e ambos não tem vogais.mas na fase de aprendizado ambos podem ter sinais massoréticos (vogais).As vogais nos ajudam na transliteração. O problema é que em Israel as placas não tem palavras escritas com vogais,por isso,aos poucos é bom se familiarizar com a ausência delas.
    Sem mais,chibukim(abraços) v(e) neshikot(beijos)

    Curtir

    1. Oi Hanna,
      Que legal que você está envolvida com tantas formas diferentes de aprendizado do hebraico!
      No comentário, disse apenas que o hebraico moderno não utiliza vogais na escrita, não que eles não possuem vogais. É claro que no início, é necessário algumas vogais para se aprender a ler, mas no uso cotidiano do hebraico moderno escrito, raramente se usam vogais. O uso do hebraico moderno é muito bom para varias coisas no aprendizado do hebraico bíblico, mas devemos lembrar que os dois são línguas diferentes, assim como Os Lusíadas, de Camões, é diferente do português atual.

      Curtir

    1. Não sei. Uso a gramática de Futato, mas não sei qual é a melhor. Acho que depende de como você quer aprender – através dos vídeos aqui no meu site? Em um seminário? Sozinho? Com um grupo? Tudo isso e mais influencia o uso de gramática.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s